‘Escrava Mãe’: Resumos dos capítulos da novela de 28/11 a 02 de dezembro

escravaSegunda, 28 de novembro
Almeida continua assustado e se revela diante de Leôncio, seu filho, um menino de aproximadamente 6 anos. Ele tem algumas fitas e um facão na mão. O garoto observa o pai, impassível. Almeida repreende Leôncio que estava sozinho no canavial. Leôncio encara o pai, em silêncio, antes de sair correndo. No engenho, Sapião retira uns amarrados de cana de um carrinho enquanto fala com Mina. Ele se lembra que Juliana gostava do dia da botada, da festa e do banquete. Almeida termina de desamarrar as mãos de um escravo magrinho, que tem os punhos enrolados com a fita verde. Osório, agora feitor do engenho, observa de longe. Teresa repreende Leôncio e Beatrice observa questionando se o garoto é filho de Teresa. Charles conversa com Nestor e Tomás sobre o cartaz que procura um suspeito que entra nas fazendas para libertar escravos. Genésio entrega algumas cartas de Filipa à Quintiliano.
Violeta parece agoniada diante de Rosalinda e revela que já fez de tudo para engravidar e não consegue. Juliana conversa com Tito Pardo sobre as lembranças da fazenda. Maria Isabel diante de uma roda de fiar, com o olhar perdido na roda. Catarina e outros escravos trabalham duro e Catarina está cansada, suada. Esméria serve uma cuia de água para a irmã. Esméria promete que vai arrumar um jeito de libertar Catarina e para isso vai pagar com a mesma moeda com Almeida, tirando o que ele tem de mais valioso que é o filho Leôncio, para a surpresa de Catarina. Filipa conversa com Bá Teixeira sobre a discussão que teve com o pai que insiste em lhe arrumar um pretendente. Juliana está sentada no chão, com alguns escravos à sua volta, crianças, adolescentes, alguns homens e mulheres. Eles estão atentos, sentados em roda, enquanto Juliana conta a história e procura despertar o interesse deles.
Na África, Miguel está emocionado diante de um oficial da tropa que diz que ele já cumpriu a pena e que agora será mandado para Luanda, até o Depósito Geral dos Degredados. Miguel pergunta por quanto tempo ainda tem que continuará a pagar a pena, e o oficial responde que apenas o necessário para fazer o registro do término do degredo. Miguel vibra ao saber que pode voltar ao Brasil. Guilherme e Tozé conversam sobre os avanços no solar da condessa que estão ajudando os escravos livres a trabalharem e ainda afirma que falta conseguir a alforria da condessa. Kamau está na Vila e observa por alguns instantes. Nestor se aproxima de Kamau, curioso. Nestor oferece ajuda e Kamau diz que está à procura de trabalho. Tomás e Charles colam os cartazes do Cavaleiro da Mancha nos muros e fachadas. Kamau anda por ali e observa. Esméria hospeda Kamau no solar. Miguel escreve uma carta, dentro de uma cabana improvisada. Acontece uma festa na Vila e a moagem da cana continua, observada por Almeida, Teresa, Beatrice, Leôncio, Tia Joaquina, Sapião, Urraca e demais escravos. Almeida observa Leôncio, que aponta para algo que vê. É Maria Isabel, que se aproxima, devagar, toda de preto. Com sombrinha também preta, observando aquilo. Beatrice fica emocionada a ver a filha, que tem o olhar perdido na moagem.
Juliana está cabisbaixa, com Tito Pardo ao seu lado, também triste. Eles estão diante de uma fogueira, numa área dos fundos de uma casa. Tito Pardo diz a Juliana que eles devem voltar para a Engenho do Sol ou então alguém aparecerá para tomar o que Ismael deixou após morrer e levá-los a força. Um sujeito acabara de chegar à Engenho do Sol, em cima de um cavalo, usando uma roupa escura, capa, chapéu e uma máscara no rosto, coberta por alguns retalhos de pano. A máscara é metade negra e metade branca. É o Cavaleiro da Mancha observando a casa grande da Engenho do Sol.

Terça, 29 de novembro
O Cavaleiro da Mancha observa a casa grande. Alguns instantes e ele vê Osório se aproximando da casa. Osório se detém, ouve um barulho e olha para a mata. Osório aguarda um pouco, até que se dirige à casa grande, sob o olhar do Cavaleiro da Mancha, por trás da árvore. Juliana está nervosa, diante de Tito Pardo que pede que ela volte ao engenho. Juliana diz que não quer voltar pois quer paz longe do Almeida e de Maria Isabel, além de que Miguel está prestes a voltar. Esméria está bastante agitada, enquanto conversa com Tozé sobre a vontade de sequestrar o filho do Almeida para livrar Catarina da escravidão. Irani questiona Belezinha sobre o misterioso que a visita às escondidas. Dália está mais bem vestida do que anteriormente, pois virou a estrela da companhia. Ela tem um buquê de flores na mão, enquanto Violeta está ali, triste e comenta com Dália que não consegue engravidar.
Quintiliano janta sozinho e se perde nos pensamentos, lembra de Filipa sob olhar de Bá Teixeira. Beatrice conversa com Teresa que não vai ficar para o jantar, pois precisa se recolher. Maria Isabel está fiando, quando percebe Leôncio na porta, observando. Leôncio pergunta se Maria Izabel é uma bruxa e Maria Isabel o encara. A festa dos escravos continua e Tia Joaquina conta as histórias do passado. Catarina percebe alguém escondido, observando tudo. Osório chega e chama por Catarina e diz que ela vai ser apresentada aos convidados do Almeida como escrava que toca instrumentos de gente rica. Catarina fica tensa e observa a todos, humilhada. Loreto pede aos soldados que se o Cavaleiro da Mancha aparecer para avisá-lo imediatamente. Loreto vê Rosalinda caminhar pela rua melancólica. Guiné e outros escravos estão acorrentados. Eles se assustam com a chegada do Cavaleiro da Mancha que faz sinal para eles não fazerem barulho. Guiné pede que o leve para o quilombo, ele assente e faz sinal para se calar. Catarina toca sua harpa, humilhada, diante do olhar de Almeida, Osório, dr. Pacheco, Urraca e demais convidados. Teresa está um pouco mais afastada, Leôncio também por ali, no chão, brincando.
O Cavaleiro da Mancha abre as correntes dos escravos que ficam surpresos sem saberem para onde vão. Miguel parece nervoso diante do oficial e reclama sobre o sumiço do baú que contém os documentos que comprovam o pagamento da pena. O Oficial pede que Miguel siga com a caravana para Luanda, onde fará o registro do fim do degredo, mas Miguel diz não ter como comprovar sem os documentos e o oficial sugere que Miguel recomece a vida onde está. Miguel diz que precisa partir imediatamente. Teresa está nervosa diante de Almeida que diz que Leôncio sumiu. Almeida ordena que todos os escravos procurem Leôncio pelo engenho. Juliana e Tito Pardo fogem em cima de uma carroça. Tito Pardo diz a Juliana que se eles não fugissem dali seriam levados como escravo de outro senhor e Juliana assente, mas se preocupa que Miguel não a encontre quando voltar. Maria Isabel caminha pela mata e percebe um barulho estranho. Leôncio surge por trás de Maria Isabel que se irrita. Maria Isabel caminha pela mata escura com Leôncio que está assustado. Almeida e Sapião estão procurando por Leôncio pela mata. Leôncio corre de Maria Isabel.
Catarina volta para a senzala aflita. Osório chega e pergunta onde está o menino e Catarina diz não saber de nada. Osório pega Catarina pelos cabelos e diz que Catarina pretende negociar a liberdade dela em troca do garoto. Catarina diz que Osório está louco. O Cavaleiro da Mancha chega no Quilombo com Guiné e mais um escravo, em dois cavalos. Os quilombolas vibram, aplaudem e começam a cantar em coro. Maria Isabel procura por Leôncio na mata, nervosa. Maria Isabel vê uma tocha e percebe que são Almeida e Sapião. Almeida pergunta de Leôncio e Maria Isabel diz que estava com ela, mas sumiu. Osório chega correndo e avisa que o Cavaleiro está na fazenda. Almeida pega Maria Isabel pelo braço com ódio e pergunta onde está Leôncio, no espanto de Maria Isabel.

Quarta, 30 de novembro
Almeida está furioso com Maria Isabel por querer saber onde está Leôncio. Osório e Sapião perguntam se Leôncio foi para a mata. Neste momento, o menino aparece e abraça o pai. Leôncio, nervoso, diz que quem o trouxe foi a Maria Isabel. Almeida volta para casa e diz para Teresa que Maria Isabel tinha levado Leôncio para a mata. Leôncio confirma que foi a tia que o levou para a mata, mas Tia Joaquina percebe que o menino está mentindo. Almeida discute com Osório e fica revoltado quando sabe da notícia que o Cavaleiro da Mancha pisou em suas terras e levou dois escravos. Almeida pede que Osório não deixe esta notícia se espalhar na senzala, mas Catarina já contou para Sapião. Miguel termina de cumprir a pena e recebe do oficial apenas as cartas de Juliana que estavam no baú. Ele pergunta de seu dinheiro, mas o oficial diz que não encontrou nada no baú. Ele vai embora junto com os outros homens para Luanda.
Tito Pardo e Juliana seguem de carroça para o Engenho do Sol. Juliana tem esperança de cuidar do filho de Teresa. Leôncio tenta pegar frutas em uma árvore. Algumas frutas caem em cima de Leôncio. Ele fica irritado e diz que vai mandar um escravo cortar a árvore. De repente uma menina pula da árvore e sai correndo. Leôncio sai correndo atrás da menina. Almeida pede que Osório reúna homens para capturar o Cavaleiro da Mancha sem que os escravos saibam. Tozé diz para Esméria que não a ajudará com o plano que pode libertar Catarina, pois pode dar errado e Esméria pode ser presa. Neste momento, Kamau desce as escadas e diz que todos os homens e mulheres, independentemente da cor, precisam ser livres. Enquanto Quintiliano, Guilherme, Tomás e Violeta tomam café, Dr. Pacheco aparece e diz que precisa falar sofre Filipa. Sapião conta para Tia Joaquina que o Cavaleiro da Mancha foi na senzala e deixou dois pedaços de pano juntos, um preto e um branco, como marca registrada toda vez que liberta um escravo.
Kamau conversa com Esméria e se lembra de quando Osório o levou embora junto com outros escravos deixando para trás seu filho e sua mulher Luena. Teresa vai atrás de Leôncio. Leôncio corre atrás da menina, Dorinha, que tropeça e cai. Ela diz que pegou fruta da árvore porque estava com fome e Leôncio diz que ela estava roubando e vai falar para os pais dela. Ela diz que não tem pai nem mãe e sai correndo. Leôncio volta para a fazenda com Teresa. Dr. Pacheco pede para Quintiliano a mão de Filipa em casamento. Maria Isabel diz para Beatrice que ainda ama Miguel e que vai esperar por ele o tempo que for preciso. Miguel segue na mata e um oficial lhe dá um saquinho com dinheiro. Miguel diz que vai usar o dinheiro para reencontrar Juliana e o agradece. Teresa diz para Leôncio não sair de casa sem avisar os pais. O menino conversa com a mãe e demonstra alguns sinais de maldade com as palavras. Teresa fica preocupada. Esméria diz para Guilherme que precisa libertar Catarina. Genésio e Sapião se encontram. Sapião conta para Genésio que o Cavaleiro da Mancha libertou Guiné. Nestor serve café para Kamau. Em um determinado momento, aparece o símbolo do pai de Miguel na madeira talhada. Almeida diz, com raiva, para Teresa cuidar melhor de Leôncio e que um justiceiro invadiu suas terras. Catarina caminha com um galão nas mãos. Ela se afasta dos outros escravos e despeja um líquido verde sobre a terra. Nestor conta para Kamau que aquele era o símbolo que marcava os escravos trazidos da África pelo pai de um amigo. Osório entra no armazém. Kamau se assusta ao reconhecer Osório.

Quinta, 1º de dezembro
No armazém, Kamau está em choque observando Osório, que fala com Nestor. Kamau procura esconder o rosto. Com ajuda de Tozé, Catarina continua a envenenar a plantação da fazenda, com o intuito de derrubar a produção e forçar Almeida a vendê-la. Almeida está nervoso diante de uma papelada e reclama de prejuízos com a safra e mais as dívidas. Almeida joga os papéis no chão e Maria Isabel abre a porta. Maria Isabel pressiona Almeida a tomar providências urgentes, caso contrário, Almeida terá que encontrar uma nova fonte de renda. Tomás está trabalhando e Guilherme chega. Guilherme conversa com Tomás e pede para que não deixe Violeta sozinha, já que os dois precisam encarar juntos o fato de ela não engravidar. Charles chega e diz que recebeu informações do Cavaleiro da Mancha. Quintiliano pede à Bá Teixeira que organize o quarto de Filipa, pois ela voltará para a fazenda. Rosalinda e Belezinha conversam e Rosalinda diz que a pensão precisa voltar a ser o local de liberdade que foi em outros tempos.
Kamau está atento a explicação de Nestor sobre Miguel que está na África pagando por ter raptado uma escrava. Kamau se emociona e Nestor pergunta se está tudo bem. Kamau diz que a história que ele contou o faz lembrar de um jovem casal que também teve seu destino interrompido. Maria Isabel está em casa, no tear, fiando e pensativa nas lembranças de Miguel. Leôncio se aproxima e pergunta se ela está falando sozinha. Maria Isabel se assusta e só então percebe que Leôncio estava na porta. Urraca finge que está passando mal e Dr. Pacheco cuida dela. Petúnia e Gonzalina estão ali e percebem que é mentira mas prendem o riso. Urraca faz sinal para elas se afastarem, sem que Dr. Pacheco perceba. Kamau caminha pela Vila até que esbarra em Almeida. Os dois discutem e Almeida pede que Kamau mostre os papéis de homem livre. Kamau diz que só fará isso caso ele mostre que é um funcionário da Coroa.
Almeida diz que é presidente da Câmara. Os dois se encaram. É quando Rosalinda aparece e contorna a situação e pergunta se estão conversando sobre a apresentação da cantora lírica que se apresentará na vila. Guilherme discute com Almeida que quer aumentar os impostos sobre matéria-prima e mão-de-obra. Urraca fica fuirosa com Zé Leão que não consegue produzir seu perfume pois as mercadorias não estão chegando à vila e que também perdeu a fórmula e suas anotações. Guilherme, Quintiliano, Tomás e Violeta conversam durante o jantar e Quintiliano comenta que Filipa está voltando para a fazenda e Violeta se anima. Quintiliano diz a Tomás e Guilherme que eles precisam apoiar a decisão de que Filipa deve se casar com o homem que ele escolheu. Na África, Átila se emociona ao ver Miguel se aproximando, espantado. Os dois se abraçam, Átila chora, aliviado. Miguel avista uma corrente nos pés de Átila, que não consegue falar, de tanto que chora. Um homem se aproxima, com um chicote nas mãos. O soldado que estava com Miguel faz sinal para o homem, que se detém. Átila diz a Miguel que ficou preso por dívida, enquanto buscava por sua filha desaparecida.
Átila pede ajuda à Miguel. Miguel diz à Átila que ele está seguro e promete que levá-lo de volta para o Brasil, custe o que custar. Juliana e Tito Pardo conversam já próximos à fazenda Engenho do Sol. Juliana diz que teme que Almeida queira se vingar por todos os anos que se passaram e que gostaria que Miguel estivesse ao seu lado. Tito Pardo a encoraja e acreditar na força que tem. Átila está aflito em ver Miguel conversando com um líder e conferindo seus documentos. Miguel diz à Átila que vai pagar pela liberdade dele. Um homem se aproxima e abre as correntes de Átila. Guilherme está diante de Nestor que fica estupefado ao ouvir de Guilherme que deseja que Nestor se candidate a um cargo na Câmara. Kamau está diante de Teresa e Beatrice que aguardam enquanto Almeida foi buscar Leôncio para apresentar a Kamau. Teresa comenta com Kamau sobre a educação de Juliana e Sapião chega. Teresa diz que Sapião foi o responsável por salvar a vida de Juliana ainda quando pequena. Kamau encara Sapião, surpreso. Almeida procura por Leôncio na frente da casa-grande. Leôncio aparece e Almeida diz que precisa apresentar-lhe uma pessoa. Leôncio aponta e vê uma carroça chegando. É Juliana e Tito Pardo.

Sexta, 02 de dezembro
Almeida encara Juliana e se aproxima da carroça onde ela está com Tito Pardo. Leôncio com ele e Mina mais afastada. Juliana sai da carroça e se volta para o menino. Juliana abre os braços para Leôncio, mas o menino sai correndo para o mato de novo. Juliana já corre atrás de Leôncio e se afasta, sob o olhar frio de Almeida. Kamau e Sapião ainda se olham, espantados. Teresa e Beatrice estranham e perguntam se os dois já se conheciam. Sapião fica sem palavras e Kamau procura esconder a emoção e diz que é novo por ali. Nestor e Irani continuam confusos diante de Guilherme que orienta que eles sejam renomados na vila, pois pagam impostos mais que os outros por causa do armazém. Quintiliano encara Filipa. Tomás e Violeta observam. Filipa surpreende Quintiliano com um abraço. Átila e Miguel caminham juntos, mas Átila sempre olha para trás, nervoso. Miguel assegura a Átila que comprou a liberdade dele e que ninguém mais vai persegui-lo. Átila diz a Miguel que sofreu muito no cativeiro e que não conseguiu achar sua filha.
Maria Isabel tem uma mantinha nas mãos. Ela fala alto, querendo ser ouvida. Dorinha observa, escondida, por entre as árvores. Maria Isabel percebe sua presença, mas finge que não a viu. Leôncio surge correndo e assusta Maria Isabel que o repreende. Maria Isabel se interrompe, pasma, ao ver Juliana surgir, correndo atrás de Leôncio. Almeida está diante de Kamau, Teresa e Beatrice e pede para voltar uma outra hora para conhecer Leôncio. Kamau anda pela rua e encontra Sapião. Os dois se abraçam, emocionados. Sapião revela a Kamau que fez o que ele ordenou anos atrás, para salvar a menina e cuidar dela a vida inteira. Kamau diz a Sapião que ele já está um homem. Miguel é cercado por homens com facões e foices e Átila pede que o deixem em paz. O líder encara Miguel por um tempo, mas o deixa partir. Quando Miguel e Átila vão passando cautelosamente, um dos homens segura Átila que reage bruscamente e uma luta começa entre eles. Juliana abraça Tia Joaquina, ambas muito emocionadas.
Sapião vem de fora e vê Juliana, ele se emociona e perde as palavras e sorri para Juliana. Os dois se abraçam, felizes. Almeida está em seu gabinete e estranha Maria Isabel de pé diante dele. Maria Isabel pede que Almeida trate a volta de Juliana ao engenho com rigor e que a coloque no lugar dela, para que evitem os erros do passado. Almeida concorda com Maria Isabel e diz que Juliana será tratada como uma escrava qualquer. Quintiliano conversa com Filipa e mesmo contrariada, aceita as condições do pai em arrumar um pretendente. Dr. Pacheco e Guilherme conversam e Dr. Pacheco acha uma loucura que Nestor mesmo sendo um bom sujeito, esteja apto a um cargo na câmara. Kamau volta para o solar e Esméria pergunta por Catarina. Kamau pergunta por Juliana e Esméria diz que ela foi tratada como sinhá.
Juliana agradece Beatrice por tudo que ela fez para ajudá-la. Teresa está nervosa diante de Almeida e diz que Juliana continuará sendo sua mucama e Almeida diz para Juliana ficar no engenho, que mantenha distância da casa-grande. Maria Isabel entra no quarto com Juliana, que parece tensa. Maria Isabel pede desculpas a Juliana. Juliana também pede desculpas para Maria Isabel. Maria Isabel abre o armário, e pega um pequeno punhal. Juliana fica tensa. Maria Isabel mostra os calendários ali marcados e diz que Miguel voltará arrependido e correrá para seus braços, e quando isso acontecer, terão uma segunda chance. Juliana fica surpresa diante da expressão firme de Maria Isabel com o punhal na mão.

Os resumos dos capítulos são disponibilizados pelas emissoras e estão sujeitos a mudanças em função da edição das novelas.

Me siga no Twitter: @sigaberaldo

Me siga no Instagram: @beraldo27

Curta a página do Portal 4 no Facebook, clique aqui

Colabore para o Portal 4 continuar com as suas atividades, saiba mais, clique aqui

Esse post foi publicado em escrava mãe, Resumo das Novelas e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s